Software houses: Desenvolver ou usar uma solução pronta de NFC-e/SAT?

Software houses: Desenvolver ou usar uma solução pronta de NFC-e/SAT?

O advento das notas fiscais eletrônicas criou um mercado comprador bastante vasto de softwares para emissão de notas e atuação em conjunto com os equipamentos SAT. Atentas a este público vasto e crescente, as Software Houses se veem diante de uma situação que exige uma decisão estratégica importante: criar sua própria solução, visando toda a receita das vendas, ou atuar como um distribuidor de uma solução pronta, onde há um repasse dos valores para o desenvolvedor. Embora a princípio a escolha pelo desenvolvimento proprietário pareça mais acertada, a realidade se mostra bem diferente.

De fato, uma solução proprietária permite a preservação de uma margem bem maior das receitas de vendas, mas isso é apenas uma vantagem diante das muitas complicações eu este caminho oferece, sendo a primeira delas o desafio do desenvolvimento em si.

Os softwares de atuação conjunta com o SAT são produtos de finalidade bastante específica, com poucas opções de customizações muito diferenciadas e que já estão distribuídos no mercado há anos; paralelamente, são ferramentas que têm de oferecer um altíssimo grau de robustez e confiabilidade, com amplas opções de contingência em caso de imprevistos e situações adversas e nenhuma margem para erros operacionais. Isso configura um cenário de desenvolvimento complexo, com acentuada curva de aprendizado e mínima tolerância para falhas, ao mesmo tempo oferecendo chances limitadas de diferenciação para produtos novos tentarem ganhar mercado de outras ferramentas.

Além da questão do desenvolvimento em si, existe também o aspecto fundamental do suporte e da manutenção, além da evolução continuada. Como a situação fiscal do cliente depende diretamente disso, a software house precisa oferecer atendimento rápido e efetivo para solução de problemas, ficando atenta a eventuais bugs e problemas que precisem de correção para oferecê-las rapidamente. A isso ainda se deve somar o fato de que as leis mudam e, com elas, as especificações dos produtos, que devem ser atualizados de acordo com as especificações. Falhas por parte do desenvolvedor podem incorrer em prejuízos para o cliente e para a própria SW, que atua de forma solidária nestes casos.

Por estes motivos, a opção por um software pronto, já bem testado e estabelecido no mercado, que conta com uma ampla estrutura de testes e desenvolvimento para atualizações rápidas e suporte, é a melhor opção para a SW, incorrendo em menos riscos e custos e permitindo um retorno mais interessante de seu capital neste aquecido mercado das NFC-e.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *